Concurso desafia cordelistas com tema “Ditadura Nunca Mais” e prêmios
Natal, RN 23 de fev 2024

Concurso desafia cordelistas com tema “Ditadura Nunca Mais” e prêmios

22 de janeiro de 2024
5min
Concurso desafia cordelistas com tema “Ditadura Nunca Mais” e prêmios
Imagem: CordelSegundoMais

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Nos 60 anos do golpe militar de 1964, a organização do Ponto de Memória Estação do Cordel, localizado no bairro da Cidade Alta, no centro de Natal, tenta incentivar jovens e experientes cordelistas a escrever sobre um período recente da história brasileira marcado pela truculência, assassinatos de civis e supressão do regime democrático pela força.

Com o tema "Ditadura Nunca Mais", a proposta é construir uma narrativa coletiva sobre o período da ditadura militar. Para isso, serão selecionados 57 poemas que vão compor uma antologia.

A Estação do Cordel vem desenvolvendo um trabalho de resgate de várias temáticas que entendemos como importantes para a reflexão do momento que vivemos. Como a gente saiu, recentemente, de um governo com traços autoritários e que muita gente se inclinou para esse tipo de relação política, o cordel, como uma das suas tradições é fazer a reflexão sobre a questão social, política, econômica e que foi uma voz durante o período da ditadura civil militar na década de 1960 e 1970, até os anos 1980, um instrumento questionador, nós entendemos que seria importante que o Cordel, nesse momento, pudesse celebrar a sua poética, mais uma vez, com um porta-voz do questionamento a este tipo de regime autoritário, já que são 60 anos que iremos completar agora”, contextualiza Fernando Antônio Soares, um dos coordenadores do Ponto de Memória Estação do Cordel.

No ano passado, o grupo organizou um seminário sobre o método de ensino “De pé no chão também se aprende a ler”, utilizado na cidade de Natal, na época do prefeito Djalma Maranhão.

Levava à reflexão, conscientização, à visão crítica da sociedade e quando a ditadura chegou, um dos primeiros decretos seus foi fechar essa experiência. Então, ano passado, nós já tínhamos abordado essa temática e, agora, no primeiro concurso, nós viemos com esse tema, ‘Ditadura Nunca Mais’”, detalha Fernando.

Os mais bem colocados no concurso serão premiados. O 1º lugar vai receber R$ 3.000,00; o 2º lugar fica com R$ 2.000,00; e o 3º lugar com R$ 1.000,00. Qualquer pessoa a partir dos 16 anos de idade pode participar. Entre os requisitos da seleção, está a originalidade do texto, que precisar ser no formato de 7 setilhas (rima, métrica e oração), diagramado no programa Word, letra Arial e tamanho 12.

Nós abrimos as inscrições desde o dia 20 de janeiro e vai até o dia 10 de março. Vamos ter uma comissão, uma banca examinadora com cordelistas do Brasil inteiro que têm propriedade para cumprir essa tarefa. Vamos fazer a seleção da melhor maneira possível com aqueles textos que estejam dentro dos critérios que o regimento aponta”, esclarece Fernando.

Além de trabalhar um tema que não deve ser esquecido, o da Ditadura Militar, o formato do concurso é, também, uma forma de incentivar uma tradição que teve significativa importância por garantir a comunicação numa época em que poucas pessoas sabiam ler e que é, ainda hoje, pouco valorizada, a do cordel.

O Cordel é um gênero literário que durante muito tempo ficou secundarizado. Até hoje as universidades não estudam com propriedade, tanto é que a maioria dos cursos de letras das universidades do Brasil não têm uma cadeira para estudar o Cordel. Mas, a gente vem ganhando espaço, inclusive, com reconhecimento do Cordel como patrimônio imaterial pelo Iphan [Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional]. Isso abriu uma janela que a gente tem aproveitado para construir políticas de fomento do Cordel. Muitos editores surgiram publicando e aumentou muito o número de leitores. Temos hoje o foco principal do Cordel nas escolas, onde muitos educadores abraçam o Cordel com uma metodologia de ensino que potencializa o diálogo com várias linguagens artísticas. Está no teatro, no cinema, na música, está em vários outros formatos, como o João Redondo. Então, é um gênero literário que foi abraçado por várias linguagens. Inclusive, na Estação do Cordel, a gente tem desenvolvido esse diálogo nas várias linguagens e tem sido muito importante para abrir espaço para desenvolver um grande leque de novos leitores”, comemora Fernando.

Todos os 60 cordéis escolhidos receberão um exemplar gratuito do livro. Os trabalhos devem ser enviados com título, pseudônimo, cidade e estado para o email: [email protected]. A taxa de inscrição é de R$ 20,00 por participante (Pix: 84998171692 - Fernando Antonio Soares dos Santos).

Serviço:

Concurso de cordel "Ditadura Nunca Mais"

Inscrições: de 20 de janeiro a 10 de março

Regulamento Completo: https://tributoaocordel.blogspot.com/

Enviar trabalhos para: [email protected]

Taxa de inscrição: R$ 20

Premiação:

1º lugar: R$ 3.000,00

2º lugar: R$ 2.000,00

3º lugar: R$ 1.000,00

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.