Prefeitura divulga áreas com maior risco para arboviroses
Natal, RN 2 de mar 2024

Prefeitura divulga áreas com maior risco para arboviroses

5 de fevereiro de 2024
5min
Prefeitura divulga áreas com maior risco para arboviroses
Fonte: Secretaria Municipal de Saúde de Natal

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) Natal montou uma força-tarefa para enfrentar o significativo aumento de notificações de casos de arboviroses. Só nas primeiras semanas de janeiro de 2024, verificou-se um aumento de 46% na notificação dos casos de arboviroses, comparando com o mesmo período no ano de 2023.

Por essa razão, foi instituído o gabinete de crise com a intenção de discutir ações que visem o combate às arboviroses e para atualização do Plano de Ação Municipal Emergencial para Combate às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, como Dengue, Zika e Chikungunya no Município de Natal em 2024.

Na ocasião, ocorreu o lançamento do atlas contendo as áreas suscetíveis para o adoecimento por arboviroses no município. No momento, de acordo com o Atlas, os distritos com áreas mais críticas e os bairros, respectivamente, são os seguintes: Distrito Sanitário Leste, nos bairros de Santos Reis; Rocas; Tirol e Lagoa Seca; no Distrito Sanitário Oeste, Felipe Camarão e pedaço de Cidade da Esperança apresentam áreas vermelhas (de maior risco) e, no Distrito Sanitário Norte I, são citados os bairros de Lagoa Azul e Pajuçara; enquanto que no Distrito Sanitário Norte II, a concentração de maior risco é no bairro de Nossa Senhora da Apresentação, que engloba boa parte dos conjuntos da Zona Norte e também, Igapó. Somente o Distrito Sul não possui áreas de risco mais graves, sinalizadas com a cor vermelha.

Atlas: áreas suscetíveis para o adoecimento por arboviroses em Natal para o ano de 2024, para acessar o documento completo, clicar aqui.

De acordo com divulgação da SMS, os números servem de alerta para casos de epidemias que acontecem no país, e podem se estender para todo o território nacional. E o secretário municipal de saúde, George Antunes, alertou para um novo sorotipo de dengue:

“No Brasil, foi detectada a volta de um novo sorotipo de dengue, do tipo 3, que estava há cerca de 15 anos sem circular pelo país, e pode causar complicações mais graves e internações, então temos uma quantidade de população que não tem memória imunológica para a doença. Portanto, é importante ficar atento e tomar os cuidados para prevenir antes que a situação se agrave]".

Durante o lançamento do Atlas, a equipe técnica elaborou o plano municipal de contingência das arboviroses, estabelecendo as ações e estratégias que serão implementadas para prevenir uma eventual situação epidêmica em Natal, como sensibilização da rede de saúde do município, assistência farmacêutica e laboratório, além de gestão de recursos humanos para as áreas que apresentam a maior concentração de casos para as doenças.

No entanto, essas ações devem ser somadas aos cuidados diários da população. Segundo dados disponibilizados pelo Ministério da Saúde, cerca de 75% dos criadouros de mosquito foram localizados dentro ou no entorno dos domicílios e, com relação a esse fato, o chefe da Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), Jean Pierre Araújo, fez o apelo:

É importante ressaltar que a conscientização individual é fundamental nesse processo, verificando, pelo menos uma vez por semana, locais que possam acumular água na sua residência, como vasos de plantas, a parte traseira do freezer da geladeira, verificar quintais e caixas d'água, e outros locais que podem servir de foco para proliferação dos mosquitos”.

Ações contínuas

A equipe da Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) realiza tratamento focal de arboviroses na cidade durante todo o ano, com visitas acontecendo nas residências nos cinco distritos sanitários do município. A UVZ também realiza atividades como o trabalho ampliado de educação e divulgação em saúde; bloqueios químicos com as unidades de baixo volume (fumacê portátil) em bairros com casos prováveis ou confirmados de arboviroses. Além de atividades de coleta de pneus, que em 2023 totalizaram 153.552 pneus retirados das ruas de Natal, ação em parceria com a Companhia de Serviços Urbanos de Natal (URBANA) e a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SEMSUR).

Natal também utiliza a tecnologia das ovitrampas, armadilhas que ajudam no monitoramento e controle dos mosquitos que podem causar arboviroses, tecnologia utilizada desde 2015 em Natal, que a partir do ano passado como referência de metodologia de monitoramento entomológico para o programa nacional de vigilância das arboviroses do Ministério da Saúde em todo o país.

O gabinete para o combate às arboviroses é composto por representantes do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ/DVS), Setor de Vigilância Epidemiológica (SVE/DVS), Departamento de Atenção Básica (DAB), Departamento de Atenção Especializada (DAE), Departamento de Assistência Farmacêutica (DAF), Setor de Assistência Laboratorial.

Com informações: Prefeitura de Natal

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.