Policiais civis do RN iniciam paralisação a partir desta terça (23)
Natal, RN 26 de mai 2024

Policiais civis do RN iniciam paralisação a partir desta terça (23)

23 de abril de 2024
3min
Policiais civis do RN iniciam paralisação a partir desta terça (23)
Decisão foi tomada em assembleia da categoria | Foto: Sinpol-RN

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Os policiais civis do Rio Grande do Norte decidiram iniciar uma paralisação geral a partir desta terça-feira (23). De acordo com o sindicato da categoria (Sinpol), a decisão é em decorrência da falta de acordo com o governo em relação ao reajuste salarial. Com a medida, todas as delegacias ficam fechadas.

Na tarde desta segunda (22), os policiais foram a mais uma rodada de negociação com a equipe do Governo. Na ocasião, o Sinpol e demais entidades aguardavam uma sinalização em relação à proposta de 10% de reajuste que havia sido aprovada pelos policiais civis na última sexta-feira (19) e seria avaliada pelo Comitê Gestor do Estado.

“No entanto, o Governo veio com nova proposta de apenas 5,3%, mais uma vez retrocedendo e desrespeitando os policiais civis. Dessa forma, a categoria chegou ao limite e decidiu adotar uma atitude mais dura de luta”, destaca o presidente do Sinpol-RN, Nilton Arruda.

De acordo com Nilton, os policiais têm uma perda inflacionária de 54%, considerando os últimos cinco anos. Inicialmente, a categoria queria um reajuste de 30% e posteriormente flexibilizou para 10%, mediada pela Delegacia Geral, mas ainda não foi suficiente para o governo aceitar. 

A partir das 8h desta terça-feira, o sindicato convocou todos os policiais civis a se concentrarem em frente à Central de Flagrantes, em Natal. Segundo o presidente do Sinpol, a direção da Polícia Civil deve organizar o mínimo de agentes para ficar trabalhando, mas as unidades policiais ficarão fechadas.

“Normalmente escolhem como base um batalhão da PM para se ter esses atendimentos emergenciais, e o restante dos procedimentos que é investigação, BO, isso aí fica prejudicado. Então a direção da Polícia Civil é que vai organizar essas questões dos percentuais”, aponta.

Em 2017, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que greve de policiais civis ou qualquer outra categoria de servidores públicos que atua diretamente na área de segurança pública é vedada.

“Em relação à proibição de fazer greve, nós já tentamos de todas as formas negociar com o Governo do Estado. Então a gente tá indo para essa atitude porque infelizmente o governo tem uma postura diferente com a Polícia Civil. Ele valoriza as outras categorias, mas para a Polícia Civil que já tem a maior perda inflacionária de todas as categorias do Governo do Estado, não só da segurança pública, ele [governo] oferece o menor percentual de todas as categorias da segurança pública. Então a única maneira que a gente tem para que o governo nos escute é uma paralisação”, diz Nilton Arruda.

Procuramos o Governo do Estado, por meio do secretário extraordinário de Gestão e Projetos Especiais, Adriano Gadelha, mas não obtivemos retorno até a publicação desta matéria.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.