CIDADANIA

PRECONCEITO? Deputado diz que bloco de carnaval das Rocas é “apologia ao crime”

Manifestação de carnaval no bairro das Rocas, em Natal, que gerou polêmica  desproporcional na opinião pública, o chamado “Bloco dos Tornozelados” foi alvo de críticas e ataques do deputado estadual Subtenente Eliabe (Solidariedade), em pronunciamento que fez na sessão ordinária da quinta-feira (3) na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.

“Eu quero externar minha indignação, meu repúdio ao fato noticiado em todo o Brasil. Um bloco formado por tornozelados, pessoas fantasiadas de presidiários, com tornozeleiras eletrônicas, alguns exibindo objetos que parecem armas. É uma situação deplorável. Não podem as autoridades aceitarem isso pacificamente. Os poderes constituídos precisam reagir. Isso é apologia ao crime, uma ameaça à população, uma forma de intimidar a população de bem e precisa de resposta à altura”, afirmou Eliabe.

O bloco chamou a atenção da mídia e teve postagens em redes sociais por mostrar centenas de foliões, de diversas idades, inclusive crianças, desfilando pelas ruas do bairro das Rocas com tornozeleiras (não se sabe de verdadeiras ou falsas) e roupas que remetem ao uniforme do sistema prisional do Estado, camisa branca e calção azul. Alguns foliões estavam com camisas e panos na cabeça, deixando á mostra apenas os olhos.

A iniciativa despertou polêmica. Parte dos internautas que comentaram as imagens e vídeos nas postagens das redes, criticou o movimento, usando os argumentos repetidos pelo deputado na ALRN. Outros internautas registraram que as críticas pareciam preconceito devido ao bairro das Rocas ser de periferia, ter concentração de pessoas de menor poder aquisitivo e de ser relacionado à criminalidade.

DETENTOS EM SEMI ABERTO PODEM PULAR CARNAVAL

O juiz da Vara de Execuções Penais de Natal, Henrique Baltazar, afirmou nesta quarta-feira que detentos do regime semiaberto que são monitorados por tornozeleira eletrônica não são impedidos de ir a blocos de Carnaval.

“Mesmo que houvesse detentos que estão no semiaberto com uso da tornozeleira eletrônica podem circular livremente, desde que informem à Justiça o endereço onde moram e se recolham em casa à noite, das 20h às 5h. Pelas imagens, é possível ver que a festa acontecia durante o dia”, explicou o juiz.

Segundo o deputado Eliabe, que parece não ter lido ou ouvido as declarações do juiz, “meu maior motivo de indignação é a forma como os poderes constituídos se comportam com esse problema: encarando com naturalidade”. O deputado defendeu que as forças de segurança, os policiais deveriam ter ido ao local para realmente se certificar do que se tratava.

INDIGNAÇÃO SELETIVA?

Nas redes sociais onde o pronunciamento do deputado foi publicado, muitos internautas apontaram que nenhum dos atos realizados pelos foliões – detentos em semiaberto ou não – pode ser tipificado como crime. Também registraram que em festas e blocos de carnaval em bairros considerados ´nobres` muitos foliões se vestem de personagens como ´Irmãos Metralha` (assaltantes das HQs do Mickey) ou caracterizações de criminosos, sem que jamais tenha despertado indignação de autoridades e deputados.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo