Por onde anda o elenco de Sideral, curta potiguar pré-indicado ao Oscar
Natal, RN 18 de jun 2024

Por onde anda o elenco de Sideral, curta potiguar pré-indicado ao Oscar

27 de dezembro de 2022
9min
Por onde anda o elenco de Sideral, curta potiguar pré-indicado ao Oscar

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O cinema potiguar está no centro das atenções. Desde a semana passada, quando saiu a pré-lista do Oscar 2023, não se fala em outra coisa. Sideral, curta rodado em Natal, Parnamirim e Ceará-Mirim, com equipe de atores potiguares, pode ser o único representante brasileiro de ficção na maior premiação do cinema mundial. A direção é de Carlos Segundo e, em pouco mais de um ano, já conquistou 66 prêmios.

O filme potiguar foi selecionado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Holywood em meio a 200 outras obras cinematográficas. Na pré-lista, são 14 curtas, que agora concorrem a 5 vagas. Além de Sideral, o documentário com coprodução brasileira “O Território” concorre na categoria documentário longa-metragem. A produção narra a história luta do povo indígena Uru-Eu-Wau-Wau.

Em entrevista à Agência SAIBA MAIS, logo após a divulgação da pré-lista do Oscar, o produtor Pedro Fiúza disse acreditar que o feito “histórico” vai inaugurar uma nova era na relação do público e da crítica com o cinema potiguar. Segundo ele, apesar dos números relevantes, Sideral ainda não tem a visibilidade que merece.

Já são 110 festivais só no 1º ano. O normal é que isso aconteça em dois anos. E nesses festivais, foram 66 prêmios [o último foi o Guarani]. Isso tudo significa que a gente pode. E estimula sim porque as pessoas vão ver que tem um filme do Rio Grande do Norte que entrou nessa disputa, que é uma pré-lista, mas já é histórica. Sideral agora vai estar nas discussões da mesa de bar”, disse Fiúza.

A obra já havia feito história como o primeiro filme potiguar a concorrer à Palma de Ouro, em Cannes, um dos festivais de cinema mais prestigiados do mundo. O elenco é estrelado pelos atores potiguares Enio Cavalcante, Robson Medeiros, Priscilla Vilela, Fernanda Cunha, Matteus Cardoso, Matheus Brito e George Holanda. 

SAIBA MAIS: por onde anda o elenco de Sideral

"Merecemos", disse Enio Cavalcante ao saber da pré-indicação de Sideral ao Oscar. | Foto: Miguel Sampaio

Enio Cavalcante é ator e começou a carreira ainda na escola, em 1999, quando fundou o Grupo Facetas. No audiovisual, já atuou em curtas e, atualmente, tem circulado com os filmes Impermanentes, Yabá, Mais um João, BoyCam e Sideral. Na Rede Globo, participou das Séries Amores Roubados e Onde Nascem os Fortes. E no streaming, terminou as gravações de Cangaço Novo, dirigida por Fábio Mendonça e Aly Muritiba. Atualmente, encerrou as gravações da série O Delegado, para o Canal Brasil.

Ao receber a notícia da seleção para o Oscar eu pensei. merecemos.
(Enio Cavalcante)

Robson Medeiros conquistou prêmios pela peça A Invenção do Nordeste: | Foto: Reprodução/Redes sociais

Robson Medeiros é natural de Janduís e atua como ator há 15 anos. Está no elenco da série Cangaço Novo, dirigida por Aly Muritiba e Fábio Mendonça, que estreará na Amazon Prime Video, em 2023. Faz parte do Grupo Carmin de teatro, com o qual rodou o Brasil apresentando as peças Jacy e "A Invenção do Nordeste", conquistando os prêmios APTR de Melhor Ator Coadjuvante e o Troféu Cultura - Melhor Ator. Em 2018, fez participação na novela Segundo Sol, da Rede Globo. Atualmente, grava a série O Delegado.

É uma conquista do cinema do Rio Grande do Norte! Com investimentos, podemos potencializar ainda mais nossas produções. Temos esperança de que os próximos tempos sejam de valorização para o nosso audiovisual.
(Robson Medeiros)

Priscilla Vilela é Adalgisa, em Travessia. | Foto: Fábio Rocha/Globo

Priscilla Vilela atualmente está no ar na telinha, na novela Travessia, da Rede Globo. É atriz, roteirista, diretora e jornalista. Trabalhou em 17 produções, com destaque para a websérie SEPTO, produção de três temporadas vencedora de diversos prêmios em festivais nacionais e internacionais, além de participações na supersérie Onde Nascem os Fortes, na novela Amor de Mãe (Rede Globo) e no longa-metragem "Enquanto o Céu não me Espera" de Cristiane Garcia, protagonizado ao lado de Irandhir Santos.

"Vontade de sair de dentro do carro gritando 'cara olha de onde a gente saiu'.
Tem Nordeste brasileiro na shortlist do Oscar!"
(Priscilla Vilela)

Fernanda cunha está trabalhando no seu primeiro livro, com previsão de lançamento para 2023. | Foto: Reprodução/Redes sociais

Fernanda Cunha é atriz e dramaturga. Licenciada em Teatro e mestre em Artes Cênicas, pela UFRN. Já escreveu quatro dramaturgias, tem um podcast e dirigiu e escreveu a websérie MOOD, sobre transtorno bipolar, premiada no maior festival de webséries do mundo. Atualmente, está trabalhando no seu primeiro livro e em uma obra cênica - ambos com lançamentos previstos para o primeiro semestre de 2023.

Quando saiu a notícia da shortlist do Oscar, eu me senti muito feliz por continuar acreditando no impossível que é fazer arte. Porque fazer arte é um ato de fé, é acreditar e dedicar a vida pra algo que parece impossível. E Sideral é como um milagre pra gente não desistir.
(Fernanda Cunha)

Matteus Cardoso é o Joel Leiteiro de Mar do Sertão. | Foto: Estevam Avellar/Globo

Matteus Cardoso é natural de Natal, formado em Comunicação Social com habilitação em Rádio e TV pela UFRN, especializado em cinema pela Universidade Estatal Russa de Cinematografia (ВГИК - VGIK). Participou como assistente de produção no longa-metragem “Наследники – Herdeiros", do  diretor Vladimir Ivanovich Khotinenko. Foi diretor criativo da produtora Casa da Praia Filmes. Em 2017, estreou como ator no grupo Carmin, no espetáculo "A Invenção do Nordeste". Atuou ainda na peça Jacy e, atualmente, está no elenco da novela Mar do Sertão, da Rede Globo, interpretando Joel Leiteiro.

Senti a mesma alegria absurda e inacreditável que senti quando soube que fomos selecionados pra Cannes. Uma alegria imensa e uma satisfação de saber que nosso excelente trabalho está rodando e sendo conhecido por todo o mundo.
(Matteus Cardoso)

Matheus Brito tem 12 anos e brilhou em Sideral. | Foto: Miguel Sampaio

Matheus Brito tem 12 anos, está no 7°ano do Ensino Fundamental e estuda teatro e canto. Já gravou outros trabalhos cinematográficos, como o filme Moventes, com direção de Jefferson Cabral. Também tem um projeto musical com seus dois irmãos - Edson e Yasmin -, o Trio Alegria. Sobre Sideral, diz estar feliz e grato. 

George Holanda está em cartaz com o solo de palhaço "Canudo se Apaixona". | Foto: Divulgação

George Holanda é ator e diretor de teatro. Natalense, tem mais de 20 anos de atuação na área. Já participou de vários grupos de teatro, montagens e festivais no Brasil e exterior. Atualmente, apresenta seu solo de palhaço - em que atua e dirige -, chamado Canudo se Apaixona. Sideral foi seu último projeto audiovisual.

Vê-lo agora selecionado na lista das 15 obras que podem concorrer ao Oscar é até difícil de acreditar ser realidade. Realmente um sonho para toda pessoa que faz cinema e para nós de Natal, tão distante do mundo do Oscar, já é uma vitória sem precedentes e uma forte mensagem que pede pela valorização da arte local como um todo.
(George Holanda)

Saiba+

Curta potiguar, Sideral é único filme de ficção brasileiro na pré-lista do Oscar 2023; relação final será divulgada dia 24 de janeiro

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.