Interventor assume presídio federal de Mossoró após fuga
Natal, RN 30 de mai 2024

Interventor assume presídio federal de Mossoró após fuga

15 de fevereiro de 2024
5min
Interventor assume presídio federal de Mossoró após fuga
Foto: Secretaria Nacional de Políticas Penais

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O Ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, determinou o afastamento imediato da atual direção da Penitenciária Federal em Mossoró, no Rio Grande do Norte, e escalou um interventor para comandar a gestão da unidade após a fuga de dois detentos, percebida na quarta-feira (14) passada.

O então diretor era Humberto Fontinele; já o interventor não teve o nome divulgado. O policial penal federal que assumirá o presídio já está em Mossoró. Ele embarcou para o local, na tarde desta quarta-feira (14), com o Secretário Nacional de Políticas Penais, André Garcia.

Fontinele estava no comando da unidade desde abril do ano passado, mas já havia passado por outros cargos na Penitenciária Federal de Mossoró. Foi o chefe da Área de Inteligência (2010-2017), da Divisão de Reabilitação (2017-2020) e da Divisão de Inteligência (2020-2023), mas também já trabalhou na Penitenciária Federal de Campo Grande (MS) entre 2006 e 2009.

A mudança acontece depois que foi constatada a fuga de Deibson Cabral Nascimento, conhecido como “Tatu” ou “Deisinho”, de 34 anos, e Rogério da Silva Mendonça, de 36 anos.

Procurados pela Interpol

Mais cedo, a Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen), órgão subordinado ao Ministério da Justiça, também havia divulgado as providências determinadas por Lewandowski.

Entre as medidas, a pasta pediu o registro dos nomes dos fugitivos no Sistema de Difusão Laranja da Interpol (Polícia Internacional), bem como a sua inclusão no Sistema de Proteção de Fronteiras, para que sejam procurados pela comunidade policial internacional.

Deibson Cabral Nascimento, conhecido como “Tatu” ou “Deisinho”, de 34 anos, e Rogério da Silva Mendonça, de 36 anos | Foto: divulgação

Disse também que acionou a direção para a abertura de investigações e o deslocamento de uma equipe de peritos ao local, com objetivo de apurar responsabilidades e de atuar na recaptura dos dois fugitivos. A ação conta com a participação de mais de 100 agentes federais.

O Ministério, ainda, ordenou a mobilização das Forças Integradas de Combate ao Crime Organizado (Ficco), que congregam as polícias federais e estaduais nas ações de repressão da criminalidade organizada, para colaborarem com os esforços de localização e prisão dos foragidos.

Ainda segundo a Senappen, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi mobilizada para fazer o monitoramento das rodovias sob sua jurisdição e dar suporte à recaptura dos presos, e mandou que fosse realizada uma imediata e abrangente revisão de todos os equipamentos e protocolos de segurança nas cinco penitenciárias federais.

Inédito

Esta é a primeira fuga do sistema prisional federal, considerado de segurança máxima. Ao todo, há cinco penitenciárias federais em todo o país: em Catanduvas (PR), Campo Grande (MS), Porto Velho (RO), Brasília (DF) e em Mossoró (RN), que foi inaugurada em 03 de julho de 2009 e possui capacidade para 208 detentos.

SAIBA MAIS: Inédito: dois detentos fogem de Penitenciária Federal em Mossoró

SAIBA MAIS: RN usa helicópteros em busca por fugitivos da penitenciária de Mossoró

Na busca pelos fugitivos, o governo do estado disponibilizou o uso de dois helicópteros no patrulhamento aéreo. O Potiguar 02 está em Mossoró, enquanto o Potiguar 01 é utilizado em buscas na área de Natal e região metropolitana.

A Polícia Militar do RN também trabalha nas buscas e as secretarias de Segurança Pública da Paraíba e do Ceará também já foram contactadas para a realização de ações integradas de reforço policial nas divisas entre os estados.

Os presos

Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Mendonça são os primeiros presos a conseguir fugir de uma penitenciária federal no Brasil. Até setembro de 2023, eles cumpriam pena no Complexo Penitenciário de Rio Branco, no Acre, mas depois de participarem de uma rebelião, foram transferidos para a penitenciária federal de segurança máxima de Mossoró.

A ausência dos dois presos foi percebida pelos agentes federais nesta quarta (14). Deibson e Rogério são apontados como integrantes do Comando Vermelho, mesma facção de Fernandinho Beira-Mar, que foi transferido do presídio federal de Campo Grande (MS) para Mossoró em 11 de janeiro.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.