Vacina contra dengue não foi testada em idosos
Natal, RN 5 de mar 2024

Vacina contra dengue não foi testada em idosos

7 de fevereiro de 2024
3min
Vacina contra dengue não foi testada em idosos
Foto: Reprodução da Vacina / Agencia Brasil

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Embora a população idosa no Brasil tenha concentrado as maiores taxas de hospitalização por dengue, essa faixa etária não está contemplada na prioridade para a vacinação da dengue pelo SUS. Mas não se trata de descaso. É que, de acordo com o Ministério da Saúde, a própria bula da Qdenga estipula que o imunizante é indicado somente para pessoas com idade entre 4 e 60 anos e que não foram feitos testes de eficácia para pessoas com mais idade.

Em entrevista à Agência Brasil, o geriatra e membro do Comitê de Imunização da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Paulo Villas Boas, o laboratório fabricante da vacina não realizou testes de eficácia nessa faixa etária.

"No presente momento, os idosos não são elegíveis. Se a dose for utilizada na população com mais de 60 anos, mesmo que seja recomendada por um médico, é considerado o que a gente chama de prescrição off label, ou seja, que não consta na liberação oficial. Alguns medicamentos são prescritos assim porque há estudos que mostram benefício", afirmou ele.

Brasil poderá ter epidemia de dengue em 2024

Segundo a Agência Brasil tem ocorrido intensa procura pela vacina nos laboratórios particulares. Mas, o próprio laboratório não está conseguindo suprir a demanda do SUS e dos particulares.

"Há uma previsão, até o final do ano, de um aporte de cerca de 6 milhões de doses. Então o laboratório provavelmente não vai conseguir suprir a demanda para clínicas privadas".

No RN 19 municípios receberão a vacina contra dengue

Segundo o especialista, a melhor forma de combater a dengue é impedir a reprodução do mosquito.

Villas Boas lembrou que os idosos são considerados grupo de risco para agravos decorrentes da infecção pela dengue. O maior número de óbitos, segundo o geriatra, acontece exatamente nessa faixa etária. E reforçou que não há risco iminente para idosos que, com a prescrição médica em mãos, recebem a vacina contra a dengue, mas destacou aspectos considerados importantes quando o assunto é a imunização de pessoas com mais de 60 anos, como um estado de perda de imunidade normal da idade, chamado imunossenescência, e a tomada de medicações que podem aumentar a imunodeficiência, como o uso crônico de corticoides e outros tratamento específicos.

Portanto, conversar com o médico que vai prescrever a vacina é extremamente importante, aconselha o geriatra.

"A gente tem que lembrar que a Qdenga é uma vacina com vírus atenuado e não com vírus morto. Se o indivíduo estiver com a imunidade mais baixa, pode ter uma resposta ou reação vacinal maior, desenvolvendo efeitos colaterais inerentes à vacinação, como mal-estar geral e febre. Não vai desenvolver um quadro de dengue clássico. Mas pode ter uma série de efeitos colaterais, descritos na própria bula da vacina.”

Com informações da Agência Brasil

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.