CVV procura voluntários que tenham “disposição para ouvir e conversar”
Natal, RN 23 de mai 2024

CVV procura voluntários que tenham "disposição para ouvir e conversar"

13 de março de 2024
4min
CVV procura voluntários que tenham
O CVV Natal recebeu 40.781 ligações somente em 2023 - Foto: CVV Natal

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O Centro de Valorização da Vida (CVV), organização sem fins lucrativos que oferece apoio emocional, gratuito e sigiloso a pessoas que precisam conversar, vai realizar um curso de seleção para novos voluntários em Natal. O curso também é gratuito e terá início no dia 6 de Abril, às 14 horas. O Programa de Seleção de Voluntários (PSV), do CVV, abordará temas como escuta ativa, prevenção ao suicidio e apoio emocional. A capacitação terá um total de 13 aulas e será realizada no Instituto Padre Miguelinho, que fica na Rua Fonseca e Silva, n° 1103, no Alecrim, em Natal. 

Para ser voluntário, é necessário ter mais de 18 anos, disponibilidade de 4 horas por semana para prestar atendimentos, participar de reuniões de grupo uma vez por mês e realizar capacitações oferecidas pelo CVV uma vez por ano. Os interessados podem se inscrever através do link: http://www.cvv.org.br/seja-voluntario/

O que é o CVV

O Centro de Valorização da Vida é uma ONG, financeira e ideologicamente independente, não possui viés político ou religioso e que trabalha na prevenção do suicídio, de forma totalmente sigilosa, dando apoio emocional a inúmeras pessoas que sofrem com depressão e que se encontram em situações que as podem levar ao suicídio. É fato que nada substitui a ida a um psicólogo, porém existem pessoas que não se sentem confortáveis em conversar com alguém. Desse modo, o CVV serve como alternativa de ajudá-las. Por isso, quem deseja ser atendido por um voluntário do CVV não precisa se identificar, nem passar nenhuma informação ou contato seu. 

E para melhorar, aqueles que desejarem, podem ser atendidos a qualquer momento do dia, uma vez que os voluntários estão disponíveis 24 horas por dia, todos os dias da semana. Também é importante lembrar que os atendimentos são totalmente gratuitos e que qualquer pessoa pode entrar em contato com o centro, seja por telefone, ligando no 188, ou pelo chat e e-mail, através do site www.cvv.org.br

O CVV trabalha com voluntários que disponibilizam parte do seu tempo para ouvir e conversar, no intuito de ajudar da melhor maneira possível na prevenção ao suicídio. A ong nasceu em 1962 e recebe cerca de 3 milhões de ligações por ano. Funcionando há 41 anos em Natal, a capital potiguar recebeu 40.781 ligações somente em 2023. 

Como é ser voluntário 

Thiago Martins é o coordenador do Centro de Valorização da Vida em Natal. Em entrevista para a reportagem, o coordenador contou que conheceu o CVV ainda criança enquanto olhava a lista telefônica dos seus pais. “Confesso que tudo começou criança... eu sempre fui muito curioso, e olhava as listas telefônicas que chegavam na minha casa, e via na parte de telefones úteis o do CVV. O tempo passou, quando já estava maior, me lembro de estar andando pelo centro da cidade, quando vi a sede do CVV, e me bateu aquela memória de criança.”, lembrou. 

A entrada pro trabalho voluntário aconteceu quando um colega de Thiago o convidou para participar do curso do CVV, ainda em 2015. Ao olhar para as memórias do passo, o atual coordenador sentiu interesse e decidiu entrar para conhecer o ambiente. 

“A entrada no trabalho, no entanto, só ocorreu um pouco depois, em 2015, quando eu estava trabalhando e um colega disse que à tarde teria um compromisso, que era o início do curso do CVV, onde ele era voluntário. Eu contei a ele essas minhas lembranças e disse que tinha interesse. Daí fui pra esse curso, o PSV, e me tornei voluntário.”, comentou. 

“Ser voluntário é algo muito satisfatório.”, defende Thiago comentando que os voluntários do CVV precisam de 4h semanais de disposição para os atendimentos. Além disso, o Centro também disponibiliza uma série de cursos e capacitações para os voluntários. “Poder, de algum modo, ajudar as pessoas, me colocando à disposição para ouvi-las, e assim prestar o apoio emocional. É, na prática, contribuir um pouco para amenizar uma situação tão complexa de solidão que hoje afeta muitas pessoas.”, conclui. 

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.