Em Natal, mulheres se organizam em ato político no 8 de Março
Natal, RN 26 de mai 2024

Em Natal, mulheres se organizam em ato político no 8 de Março

7 de março de 2024
5min
Em Natal, mulheres se organizam em ato político no 8 de Março
Créditos: Rovena Rosa/Agência Brasil

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Movimentos de mulheres e feministas, juntos a entidades e centrais sindicais realizam, nesta sexta-feira (08), em Natal, um ato político cultural e uma caminhada em alusão ao dia internacional de luta das mulheres. O lema escolhido pelo movimento feminista de Natal para o ato do 08 de Março este ano é: Em defesa da vida das Mulheres, pela legalização do aborto, contra as guerras, as violências e as privatizações.

A atividade será realizada a partir das 15h, com concentração na calçada do Banco do Brasil, localizado na Avenida Rio Branco, no bairro Cidade Alta. Em seguida, acontece uma caminhada até a Praça Cívica de Natal. O cortejo será puxado por Batucadas e Fanfarras feministas. O ato será encerrado com shows da Zamberacatu, Batuque de Mulheres, Quilombo de Acauã e Mulherio das Letras.

Carla Alves, integrante do Mulherio das Letras, destaca as expectativas para o ato que acontece na próxima sexta e chama o público para participar: “Queremos mais uma vez renovar forças para as nossas lutas diárias contra o patriarcado e as violências sofridas por nós, mulheres. Convocamos as manas para virem todas juntas, para essa caminhada!

A organização do ato pontua as motivações que devem mobilizar o público feminino para ir às ruas nesse 08 de Março: “As mulheres certamente têm suas vidas mais precarizadas diante da ausência de políticas públicas, de conflitos armados, guerras e violências cada vez mais frequentes em nossos dias e no cenário internacional atual. Não podemos esquecer as vidas perdidas das mulheres, crianças e civis na palestinas, frente o genocídio em curso. Além disso, devemos estar atentas e fortes ao movimento político ultradireitista no país, que tem avançado cada vez mais o processo de privatizações em serviços básicos e nas empresas estatais”.

Já para Kivia Moreira, do Movimento de Mulheres Olga Benário, é importante destacar o caráter histórico do 8 de Março para as mulheres, levando em consideração a organização coletiva: “Essa data surgiu diante das lutas das mulheres, pelos seus direitos à liberdade sexual, ao trabalho digno, à vida e à liberdade, coisas historicamente negadas para nós”, argumenta. “O 8M tem o caráter de relembrar que as mulheres precisam organizar essa luta para ter esses direitos. As vitórias e as conquistas das mulheres são frutos de uma luta coletiva.”

Participação das mulheres pescadoras no 8M

Claudia Gazola, educadora e militante feminista, destaca um marco importante no ato que acontece na próxima sexta-feira: “Pela primeira vez, teremos a participação de 30 mulheres pescadoras (Macau, Galinhos, Caiçara do Norte, Natal, Muriú, Guamaré, Pedra Grande, Areia Branca) nas ruas em defesa de seus territórios e maretórios, diante do avanço das energias renováveis no litoral do estado”, pontua.

Durante a manhã do próximo dia 08, antes do ato das mulheres, as pescadoras artesanais realizam a audiência pública popular Mulheres construindo jornadas de luta para defesa dos maretórios no RN, no auditório Minérios do campus IFRN Central, localizado na Avenida Senador Salgado Filho, em Natal. O evento começa às 9h30, com previsão para acabar ao meio-dia.

Confira o trajeto e mais informações do ato que acontece neste dia 08

Concentração: Às 14h30 em frente ao Banco Brasil da Av. Rio Branco, na Cidade Alta.

Caminhada: Até a praça Cívica. Segue pela Ulisses Caldas, da Rua Princesa Isabel até a João Pessoa, segue pela Deodoro e Trairi, com chegada às 16:30 na praça cívica e com encerramento político cultural até às 18h.

Participe: Batucadas e Fanfarras Feministas             

Apresentações: Zamberacatu, Batuque de Mulheres, Quilombo de Acauã e Mulherio das Letras

Essa reportagem faz parte do projeto “Ser Mana, Mulher", idealizado pela Agência SAIBA MAIS para produção de pautas dedicadas a temas que impactam diretamente a vida das mulheres, ao tempo que contamos as histórias de Mulheres.

Leia também

Lançamento do videoclipe "Saudade da Preta" celebra as Mulheres

UERN e UFRN oferecem minicurso remoto sobre Igualdade no 8M

“Somos seres humanos”: A realidade de ser migrante africana em Natal

Natal: Frente Parlamentar da Mulher faz sessão de homenagem a mulheres

8 de março: debate e show musical reivindicam um RN sem misoginia

Colégio em Natal coleta materiais para mulheres privadas de liberdade

Mostra do Cineclube Natal homenageia diretoras potiguares

Por que existe o Dia Internacional da Mulher?

Violência contra a mulher: agressões sobem 14% no RN; denúncias caem

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.