Reduto boêmio da Cidade Alta tem agora regulação para eventos
Natal, RN 21 de abr 2024

Reduto boêmio da Cidade Alta tem agora regulação para eventos

4 de março de 2024
4min
Reduto boêmio da Cidade Alta tem agora regulação para eventos
Beco da Lama após nivelamento de piso I Foto: Joana Lima

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O uso do espaço do Beco da Lama foi regularizado entre comerciantes e Prefeitura do Natal. A área boêmia da Cidade Alta ficou dividida em três partes: o Setor 1, a partir da Rua Coronel Cascudo até a Rua Ulisses Caldas; o Setor 2, que vai até a Rua João Pessoa e o Setor 3, na Rua Vigário Bartolomeu. Com a divisão, não será permitida a realização de mais de um evento, de maneira simultânea, no mesmo setor.

A reunião foi para regular o uso do espaço do Beco da Lama. A regulação de quantas cadeiras e mesas o dono do bar pode colocar. Quando eu estiver fazendo um evento no meu bar, por exemplo, você pode fazer seu evento, mas só após o meu. Não pode haver dois eventos acontecendo concomitantemente no mesmo lugar não”, exemplifica Maria Gorette, Diretora Executiva da Sociedade dos Amigos e Amigas do Beco da Lama e Adjacências.

Saiba Mais: A Cidade Alta anda em baixa

A reunião, que foi realizada nesta segunda (4), na sede da secretaria de Planejamento (Sempla), na Cidade Alta, contou com a presença do Supervisor de Fiscalização de Poluição Sonora e Atmosférica da Semurb (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo), Felipe Oliveira, e do Chefe do Setor de Licenciamento Empresarial (SLE), Salmy Alves da Nóbrega.

Reunião entre comerciantes do Beco da Lama e Semurb I Foto: Semurb

"O intuito foi solucionar os conflitos para a realização de eventos e alinhar uma melhor maneira de atender as necessidades dos comerciantes e da população. Uma vez que a pasta tomou conhecimento de problemas no local como barreiras instaladas nas tendas e uso simultaneamente de som em ambos os setores, que não é permitido, e ainda ocupação de passeio com mesas e cadeiras", detalhou o Supervisor de Fiscalização de Poluição Sonora e Atmosférica da Semurb.

O Beco da Lama possui, atualmente, cerca de 35 estabelecimentos ativos e fica numa área mista, com comércios e residências. A proposta para evitar a poluição sonora na área, foi criar um cronograma mensal que será ajustado entre os comerciantes e apresentado de maneira antecipada à Semurb, para a liberação das autorizações dos eventos, evitando as autorizações individuais.

Desde abril do ano passado a Prefeitura do Natal vem realizando uma série de visitas técnicas e reuniões para compreender o funcionamento do local, desde a estrutura física dos estabelecimentos à higiene no manuseio e venda de alimentos. As reuniões fazem parte do Plano de Ação para o Centro Histórico, coordenado pela Semurb, para organizar espaços voltados às ações culturais e regulamentar o bom funcionamento da cidade. As ações foram iniciadas após recomendação do Ministério Público de coibir as alterações sonoras derivadas das atividades no local.

As reuniões têm acontecido para facilitar o trabalho das equipes e a segurança da sociedade que frequenta o Beco. Além disso, o trabalho garantirá que os comerciantes cumpram com a legislação para o correto funcionamento, uso de som, higiene, acessibilidade, entre outros", finaliza Felipe Oliveira.

Saiba +

Beco da Lama: Comerciantes denunciam excesso de exigências da SEMURB

Fechamento de sapataria agrava crise no comércio do Centro de Natal

Marisa fecha na Cidade Alta e comerciantes dizem que especulação imobiliária afasta grandes lojas do centro de Natal

Fechamento da C&A expõe enfraquecimento do comércio e até da memória de Natal

Esvaziamento

Os comerciantes do local também deram início a um processo que pode tornar o Beco da Lama num espaço de atividades culturais. O bairro da Cidade Alta enfrenta um severo processo de esvaziamento da região desde, pelo menos, março de 2022, quando a loja C&A localizada na esquina da Avenida Rio Branco com a Rua João Pessoa, teve as portas fechadas em definitivo. Desde então, outras lojas também encerraram suas atividades no centro de Natal, como a Marisa, duas unidades das Lojas Americanas, a Magazine Luíza e, mais recentemente, a sapataria Di Santinni.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.