Pescadoras do RN defendem seus maretórios em audiência pública
Natal, RN 22 de mai 2024

Pescadoras do RN defendem seus maretórios em audiência pública

10 de março de 2024
4min
Pescadoras do RN defendem seus maretórios em audiência pública
Foto: cedida

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

No Dia Internacional da Mulher, pescadoras do Rio Grande do Norte se reuniram em uma audiência pública para defender seus maretórios, ecossistema rico em biodiversidade importante para as diversas comunidades costeiras que dependem dele para pesca, coleta de mariscos e acesso a recursos marinhos. O evento contou com a presença de representantes de colônias de pesca, associações de marisqueiras e diversas organizações, totalizando 92 participantes.

Organizada como parte do projeto "Mulheres construindo jornadas de luta em defesa de seus maretórios no RN - MUDEM", a audiência é resultado de seis meses de formação política das mulheres pescadoras da Rede Manguemar, com apoio do Fundo Sociambiental Casa e coordenação da Oceânica.

Foto: cedida

Diferente das audiências públicas convencionais, esse encontro foi construído pela sociedade civil organizada, visando ecoar as vozes das comunidades e suas experiências de trabalho e resistência.

A nossa audiência pública popular é diferente das audiências públicas que estamos acostumadas a ver na câmara municipal e na assembleia legislativa. É o que chamamos na pedagogia feminista de formação na ação”, afirma a arquiteta feminista Claudia Gazola, educadora da Oceânica .

Além disso, foi apresentada a sentença produzida pelo Tribunal Popular das Pescadoras em Defesa dos seus Maretórios, destacando as violações e ameaças enfrentadas pelas comunidades pesqueiras diante do avanço das energias renováveis no estado.

A Subsecretaria da Pesca do RN, o Centro de Referência em Direitos Humanos Marcus Dionísio - CRDH-UFRN, o Ministério Público Federal, a Defensoria Pública da União e o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa da Cidadania (Caop-Cidadania) estiveram presentes para dialogar sobre os desafios enfrentados pelas pescadoras e buscar soluções para garantir seus direitos e proteger seus territórios.

Rede MangueMar

A Rede MangueMar (RN) é composta por 39 instituições atuantes nos 410 km de costa potiguar. Trata-se de um coletivo que tem como estratégia, abraçar bandeiras na zona costeira do RN que lutam por justiça socioambiental. Na composição da Rede, reúnem-se Colônias, Associações, Movimentos e Articulações de pescadores e pescadoras; Pastorais sociais; ONGs/OSCs; Fóruns; Pesquisadores/as; e Instituições de pesquisa e ensino.

SAIBA MAIS

Audiência popular quer fortalecer pesca artesanal feita por mulheres

_______________________________________________________________________________________________________________

Essa reportagem faz parte do projeto “Ser Mana, Mulher", idealizado pela Agência SAIBA MAIS para produção de pautas dedicadas a temas que impactam diretamente a vida das mulheres, ao tempo que contamos as histórias de Mulheres.

SAIBA MAIS

Afroempreendedoras lutam e adoçam páscoa em Natal

“Tem que ser mulher macho”: As vivências de ser mulher nas ruas

Vereador propõe licença menstrual para servidoras em Natal

Conheça Alessandra Augusta, nova presidenta da Casa da Ribeira

Operação Átria: 33 prisões no RN em combate à violência contra a Mulher

Mulheres ocupam ruas do centro de Natal em marcha pelo 8 de Março

Decreto garante direitos de refugiadas, apátridas e migrantes no RN

8 de março: quais os desafios que encontram as mulheres na ciência?

Mulheres do MST em Natal pedem Reforma Agrária e acesso à Universidade

Em Natal, mulheres se organizam em ato político no 8 de Março

Lançamento do videoclipe "Saudade da Preta" celebra as Mulheres

UERN e UFRN oferecem minicurso remoto sobre Igualdade no 8M

“Somos seres humanos”: A realidade de ser migrante africana em Natal

Natal: Frente Parlamentar da Mulher faz sessão de homenagem a mulheres

8 de março: debate e show musical reivindicam um RN sem misoginia

Colégio em Natal coleta materiais para mulheres privadas de liberdade

Mostra do Cineclube Natal homenageia diretoras potiguares

Por que existe o Dia Internacional da Mulher?

Violência contra a mulher: agressões sobem 14% no RN; denúncias caem

Mulheres ocupam ruas do centro de Natal em marcha pelo 8 de Março

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.