Operação Átria:33 prisões no RN em combate à violência contra a Mulher
Natal, RN 28 de mai 2024

Operação Átria:33 prisões no RN em combate à violência contra a Mulher

9 de março de 2024
3min
Operação Átria:33 prisões no RN em combate à violência contra a Mulher
Foto: Sesed/RN

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Em meio às atividades realizada pelo Governo do Estado em alusão ao Dia Internacional da Mulher, a Operação Átria, coordenada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), divulgou seu primeiro balanço no Rio Grande do Norte nesta sexta-feira (8). Com 990 diligências realizadas, a ação resultou em 33 prisões e a apreensão de quatro armas brancas.

Cento e sessenta policiais e agentes de diversas instituições, incluindo Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros Militar, participaram das atividades. Além disso, 161 mulheres vítimas de violência foram atendidas, seis foram resgatadas e 49 medidas protetivas de urgência foram solicitadas. O Dia D da operação, que ocorreu em 8 de março, resultou em mandados de prisão cumpridos em Mossoró e Pau dos Ferros, com destaque para o resgate de uma adolescente de 16 anos que estava sendo explorada sexualmente em um bar.

A Operação Átria, que vai até 29 de março, é a maior já realizada no país para prevenir e combater crimes de violência de gênero. No RN, é coordenada pela SESED, com apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública. O Departamento de Proteção a Grupos em Situação de Vulnerabilidade (DPGV) da Polícia Civil desempenha um papel crucial na coordenação, planejamento e execução das ações, em parceria com as forças de segurança e a rede de proteção.

"A ação deste ano tem uma novidade, que é a integração entre as forças. Estamos unidos para um objetivo em comum, combater a violência contra a mulher", afirmou Helena De Paula, diretora do DPGV.

A denominação da operação, Átria, faz alusão à estrela principal da constelação Triângulo Austral, destacando-se na bandeira do Brasil, simbolizando o reposicionamento das mulheres agredidas, retirando-as da condição de vítimas.

Essa reportagem faz parte do projeto “Ser Mana, Mulher", idealizado pela Agência SAIBA MAIS para produção de pautas dedicadas a temas que impactam diretamente a vida das mulheres, ao tempo que contamos as histórias de Mulheres.

SAIBA MAIS

Mulheres ocupam ruas do centro de Natal em marcha pelo 8 de Março

Decreto garante direitos de refugiadas, apátridas e migrantes no RN

8 de março: quais os desafios que encontram as mulheres na ciência?

Mulheres do MST em Natal pedem Reforma Agrária e acesso à Universidade

Em Natal, mulheres se organizam em ato político no 8 de Março

Lançamento do videoclipe "Saudade da Preta" celebra as Mulheres

UERN e UFRN oferecem minicurso remoto sobre Igualdade no 8M

“Somos seres humanos”: A realidade de ser migrante africana em Natal

Natal: Frente Parlamentar da Mulher faz sessão de homenagem a mulheres

8 de março: debate e show musical reivindicam um RN sem misoginia

Colégio em Natal coleta materiais para mulheres privadas de liberdade

Mostra do Cineclube Natal homenageia diretoras potiguares

Por que existe o Dia Internacional da Mulher?

Violência contra a mulher: agressões sobem 14% no RN; denúncias caem

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.