Medalhista mundial de Taekwondo conheceu esporte em associação de Assu
Natal, RN 27 de fev 2024

Medalhista mundial de Taekwondo conheceu esporte em associação de Assu

24 de novembro de 2023
4min
Medalhista mundial de Taekwondo conheceu esporte em associação de Assu
Foro: cedida

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Medalhista Mundial dos jogos Pan-Americanos, Sul Americano, Mundiais Militares e do Pan Americano do Taekwondo. Quem vê a grandeza do currículo do atleta Paulo Ricardo Melo provavelmente não imagine que ele é fruto do trabalho de uma associação de moradores de um bairro periférico do município de Assu, na região Oeste do Rio Grande do Norte, a 220 quilômetros de Natal.

Morador do bairro Vertentes, Paulo Ricardo tinha 10 anos quando conheceu o esporte que o transformaria após anos de trabalho. Como não tinha condições de pagar aula particular, buscou o projeto social da Associação do Frutilândia, que oferecia atividades esportivas e aulas particulares às crianças e jovens assuenses, para "ocupar o tempo", como ele mesmo explica.

A Associação dos Moradores dos Bairros Frutilândia I e II e Fulô do Mato (AMBFFM) é uma entidade beneficente de Assistência Social que há 30 anos assiste um total de 300 crianças, jovens e adolescentes em Assu.

Na época, ele cursava a sétima série do ensino fundamental e conta que "era aventureiro".

"Eu sempre saía da aula, faltava à escola. Depois que conheci o esporte aprendi a disciplina e responsabilidade".

Com nova consciência, Paulo quis crescer mais e participar de competições. Foi aí que seu caminho se cruzou, no projeto social "Projovem" (programa nacional de inclusão de jovens), com o treinador Fabio Lourenço, que o instruiu e incentivou de 2010 até 2021.

Já em casa, no início, a mãe não o apoiava muito. "A gente tinha condição financeira apertada e as competições eram caras. Ela não ia tirar dinheiro do nosso sustento", ele conta.

Filho de pais separados, ele teve que perder a timidez para buscar os meios de competir. Paulo andava quilômetros em busca de patrocínio para suas viagens e competições.

"Sempre acreditei que isso me levaria a algum lugar".

A rotina era puxada. Treinava à tarde e depois ia para o segundo treino à noite.

"Em 2010 foi quando comecei a participar de jogos estudantis e estabeleci a meta de entrar na seleção estadual. Em 2012, consegui e fui disputar o campeonato brasileiro. Viajei de avião pela primeira vez em 2012 e consegui chegar a final no campeonato brasileiro", relata. Em 2016, foi o primeiro atleta do RN a entrar na Seleção principal Brasileira, também é o primeiro do RN a ganhar o mundial.

Daí em diante, a história de Paulo acumula uma série de conquistas que o tornaram hoje, aos 26 anos, atleta das Forças Armadas e da seleção brasileira de Taekondo, lutando, literalmente, por um objetivo maior, participar dos jogos olímpicos.

"A gente (ele e o treinador Fábio) era meio leigo no começo, não sabia como funcionava esse caminho. Fomos abrindo portas para outras crianças, a maioria de projetos sociais. Ele captava crianças e jovens que tinham talento, e convidava para o treino a noite. Hoje eu sou a prova viva de que o esporte é uma ferramenta de transformação".

__________________________________________________________________

Essa reportagem faz parte do projeto "Saiba Mais de perto", idealizado pela Agência SAIBA MAIS, e financiado com recursos do programa Acelerando Negócios Digitais, do ICFJ/Meta e apoio da Ajor.

Leia também:

Projeto Saiba Mais de Perto combate "desertos de notícias" no RN

Tibau: Estudantes participam da maior feira de ciências do mundo

Aldeia Sesc Seridó reúne artistas de Caicó em Cortejo Cultural

Comerciante morre em acidente por buraco na Zona Norte de Natal

Coletivos independentes movimentam a sétima arte em Mossoró

Seridó: Aos 93 anos, Maria Albino faz doces para acolher pessoas

Depois te Conto: jovens da Zona Norte criam série independente de humor

Caatinga:  famílias vivem da natureza no Parque Nacional da Furna Feia

CMEI na Zona Norte realiza exposição inspirada em Ariell Guerra

Currais Novos: Congresso das Batalhas reuniu artistas de Hip Hop

Maior produtor de atum do RN não leva pescado à mesa areia-branquense

Caicoense transformou a dor do luto em homenagem para 40 mulheres

Como resiste o afroempreendedorismo do outro lado da ponte

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.