Jornal impresso “Quinzenal” resiste há 19 anos em Caicó
Natal, RN 26 de fev 2024

Jornal impresso “Quinzenal” resiste há 19 anos em Caicó

3 de dezembro de 2023
5min
Jornal impresso “Quinzenal” resiste há 19 anos em Caicó
Jerônimo Medeiros Neto, 54 anos, nasceu em Serra Negra do Norte, mas mora em Caicó | Foto: cedida

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Pelas ruas de Caicó, no centro e nos bairros, o “Professor Jerônimo” não tem transporte e caminha entregando aos assinantes e colunistas jornais impressos. Trata-se de seu jornal, “Quinzenal”, que traz colunas, abordando assuntos atuais, assim como fatos históricos, publicação de romance dividido em capítulos, poesias e receitas.

Jerônimo Medeiros Neto, 54 anos, nasceu em Serra Negra do Norte, mas mora em Caicó desde 1993. Ele fundou o jornal com nome de “Quinzenal”, porque pretendia publicar a cada 15 dias, mas, continua sendo mensal e com uma tiragem de 200 exemplares.  Jerônimo cursou Magistério, na Escola Estadual Professora Calpúrnia Caldas de Amorim (EECCAM), e atuou como professor de reforço escolar. Com vasto conhecimento da Língua Portuguesa, Jerônimo tem vocabulário amplo, conhece em detalhes as regras gramaticais, tem o hábito de ler todos os dias, e a denominação de “Professor Jerônimo” foi dada pelo Monsenhor Ausônio Tércio de Araújo, “Padre Tércio”, que era assinante e incentivador de seu jornal.

Professor Jerônimo vende jornais caminhando por toda Caicó

Entre os colunistas do Quinzenal, estão o professor de Artes, Valentim dos Santos, o historiador Antônio Neves, o escritor e historiador Professor Adauto Guerra, a pesquisadora Santana Taciana, Clube dos Trovadores do Seridó, que desenvolvem temas de relevância social. Alguns foram convidados por Jerônimo, outros apresentaram-se espontaneamente para colaborar na escrita. As despesas do jornal são cobertas pelas propagandas, assinantes e algumas doações em dinheiro de alguns colunistas. E assim o jornal segue para completar seus 20 anos de atuação no ano de 2024.

 “Modestamente, vejo o Jornal Quinzenal como um recurso que busca conservar a cultura e despertar a cidadania. Já no âmbito social, não tenho dúvida que, em quase 20 anos, o Jornal Quinzenal foi fator importante na disseminação do olhar crítico sobre os fatos, reformulação de juízos e conceitos, digamos obsoletos, defesa do pluralismo sociocultural, e quebra de paradigmas”, destaca Jerônimo Neto, sobre seu jornal, de publicação mensal.

No bairro João XXIII, Jerônimo Neto trabalhou em projeto social, vinculado a ONG Internacional Visão Mundial, e quando o projeto encerrou, ele passou a trabalhar como professor de reforço escolar, voluntário, atendendo crianças e adolescentes em vulnerabilidade social. Também teve atuação no Conselho Comunitário e criou um projeto socioeducativo, antes de ingressar na área de comunicação.

"Em comunicação, tive participações nas rádios locais. Colaborei como revisor de texto nas revistas Terra Potiguar, de Paulo Jr. e Seridó em Foco, de Jota Araújo. Também trabalhei no jornal Correio do Seridó, como revisor de textos da Redação e fundei o Jornal Quinzenal, que circula até hoje", diz Professor Jerônimo.

O jornal não é a única fonte de sobrevivência de Jerônimo. Ele diz que vende crônicas e poesias, através de contato pelo seu whatsapp (84)99958-1329. O texto é disponibilizado com diagramação em formato de folha A4, incluindo também propagandas.

Jerônimo não faz uso de rede social. Conhece Caicó, como poucos, dialoga com pessoas de todas as classes sociais, e tem – aliado ao senso crítico – uma capacidade incrível de ouvir e observar. O Professor Jerônimo, que para muitos ainda é desconhecido, é “professor” não somente pelo amplo conhecimento gramatical, mas também pela resistência nesta missão de provocar reflexões e despertar o senso crítico numa sociedade em que predomina o hábito de “curtir, copiar, colar, compartilhar” sem análise de conteúdo.

____________________________________________________________________________________________________

Essa reportagem faz parte do projeto "Saiba Mais de perto", idealizado pela Agência SAIBA MAIS, e financiado com recursos do programa Acelerando Negócios Digitais, do ICFJ/Meta e apoio da Ajor.

Leia também:

Projeto Saiba Mais de Perto combate "desertos de notícias" no RN

Tibau: Estudantes participam da maior feira de ciências do mundo

Aldeia Sesc Seridó reúne artistas de Caicó em Cortejo Cultural

Comerciante morre em acidente por buraco na Zona Norte de Natal

Coletivos independentes movimentam a sétima arte em Mossoró

Seridó: Aos 93 anos, Maria Albino faz doces para acolher pessoas

Depois te Conto: jovens da Zona Norte criam série independente de humor

Caatinga:  famílias vivem da natureza no Parque Nacional da Furna Feia

CMEI na Zona Norte realiza exposição inspirada em Ariell Guerra

Currais Novos: Congresso das Batalhas reuniu artistas de Hip Hop

Maior produtor de atum do RN não leva pescado à mesa areia-branquense

Caicoense transformou a dor do luto em homenagem para 40 mulheres

Como resiste o afroempreendedorismo do outro lado da ponte

Medalhista mundial de Taekwondo conheceu esporte em associação de Assu

“No Seridó a Reza é Forte” destaca indígenas e africanos no RN

Zona Norte: projeto da UFRN leva comunicação para escola pública

Em Ouro Branco, a preservação do patrimônio coloriu a cidade

Fábrica de polpa de frutas transforma vida de mulheres agricultoras

As chuvas fortes em Natal e o caos na Zona Norte

Com 74 anos, Manoelzinho produz telas em latonagem e fotocorrosão

Patu: Cineatro leva reflexão social a estudantes de escolas públicas

Redinha: trabalhadores seguem desamparados após 3 meses de protestos

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.