Auto de Natal: espetáculo envolveu mais de 200 atores na Zona Norte
Natal, RN 2 de mar 2024

Auto de Natal: espetáculo envolveu mais de 200 atores na Zona Norte

21 de dezembro de 2023
7min
Auto de Natal: espetáculo envolveu mais de 200 atores na Zona Norte
Espetáculo teve mais de 200 atores e bailarinos envolvidos, além de uma equipe de produção de 30 pessoas - Foto: Priscila Krüger

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Uma jornada emocionante e inspiradora, que explora a capacidade de redenção da humanidade e a importância de mudanças pessoais para transformar o mundo, reuniu 213 pessoas, entre bailarinos, atores e uma equipe de produção de 30 pessoas, no palco do Complexo Cultural da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), na Zona Norte de Natal. A estreia do espetáculo “Auto de Natal - A reinvenção do mundo” ocorreu na última sexta (15), com apresentação também no sábado (16).

O iniciativa é uma produção artística de base comunitária construído a partir do trabalho de formação inicial em teatro e dança executado pela Escola de Extensão da Uern (EdUCA). Com as participações dos grupos Teatro Baobá e Cinedansa, a peça foi dirigida e criada por Denilson David, coreografada por André Rosa e teve direção geral de Irene Van den Berg. 

Esta peça cativante e cheia de esperança combina elementos da cultura erudita e popular, mostrando que o verdadeiro espírito do Natal vai além dos presentes materiais e está na capacidade de amor e transformação”, destacou o autor do espetáculo Denilson David. 

David, que além de autor é mestre em Artes Cênicas, doutorando em Estudos da Linguagem e Arte-Educador, destacou a importância de um trabalho como esse na Zona Norte de Natal. O artista comenta que apresentar o Auto na Zona Norte é um ato de bravura, persistência e resistência, porque além de tudo, a peça também é feita por moradores da região. 

Apresentar o Auto na Zona Norte de Natal, feito pelos moradores dessa região é um ato de bravura, persistência e resistência. Uma zona que ainda é muito carente de ações de cultura, lazer e arte. Fazer um evento dessa magnitude e nessa proporção é uma forma de gritar que na Zona Norte reside um povo que aprecia, produz e respira arte.  E é ainda uma forma de dizer que se tivermos as condições dignas e necessárias, nós juntos podemos ir muito além e produzir muito mais de forma qualitativa e quantitativa”, pontuou Denilson. 

A história parte de uma avó que conta ao seu neto, Zezinho, sobre o verdadeiro significado do Natal. A partir daí, a trama se divide em reflexões, histórias mágicas e sagradas com Anjos e Santos, e um verdadeiro dilema da reinvenção do mundo. Denilson conta que a ideia inicial era unir as turmas de teatro, música e dança que eram compostas por crianças, jovens, adultos e idosos, na faixa etária de 5 a 75 anos, para promover um grande encontro de gerações e diversidades.

O professor ainda destaca as dificuldades de realizar um espetáculo desse nível e que cresce de público a cada ano. Além de tudo, comentou da importância do caráter pedagógico que envolve aquilo tudo, uma vez que para muitos daqueles alunos, a obra é a primeira experiência artística da carreira. 

Colocar em cena “O auto de Natal - A reinvenção do mundo” foi um grande desafio, e uma grande responsabilidade, primeiro pela proporção e grandiosidade que o evento ganha a cada ano, atraindo cada vez mais novos olhares da comunidade local, da comunidade artística e também de grandes figuras de autoridades do estado. Segundo, pela dimensão e caráter artístico pedagógico que o evento possui, uma vez que muitos daqueles sujeitos em cena, estão tendo sua primeira experiência artística através da composição desse projeto o que torna a realização do auto ainda mais potente e desafiadora”, conclui.

Auto de Natal está em 4° edição 

Em 2018, o professor teve a primeira ideia do que viria ser um dos principais espetáculos da Escola de Extensão. A ideia de montar uma peça, surgiu do arte educador para encerrar o ano letivo. Daí, nasceu o primeiro Auto, ainda em 2018, intitulado de “Auto de Natal - Um novo tempo”, baseado no clássico conto “Um conto de Natal” de Charles Dickens. No seguinte, o primeiro texto autoral de Denilson virou uma peça intitulada “Auto de Natal No Reino de Pindorama”, que depois da pandemia foi reapresentada num formato híbrido na 3° edição do projeto.  Outra dificuldade para manter o evento é a falta de recursos, que mesmo estando vinculado a UERN, muitas vezes é preciso enfrentar trâmites burocráticos para conseguir recursos, o que dificulta o processo de produção e logística do evento. Denilson conta que se não fosse pelo apoio do Governo do Estado, através da Fundação José Augusto, o espetáculo natalino não teria acontecido. Projetos como esses, são importantes na promoção de lazer, bem-estar e cultura na Zona Norte que, na maioria das vezes, é esquecida pelo poder público da capital.

______________________________________________________________________________

Essa reportagem faz parte do projeto "Saiba Mais de perto", idealizado pela Agência SAIBA MAIS, e financiado com recursos do programa Acelerando Negócios Digitais, do ICFJ/Meta e apoio da Ajor.

Leia também:

Projeto Saiba Mais de Perto combate "desertos de notícias" no RN

Tibau: Estudantes participam da maior feira de ciências do mundo

Aldeia Sesc Seridó reúne artistas de Caicó em Cortejo Cultural

Comerciante morre em acidente por buraco na Zona Norte de Natal

Coletivos independentes movimentam a sétima arte em Mossoró

Seridó: Aos 93 anos, Maria Albino faz doces para acolher pessoas

Depois te Conto: jovens da Zona Norte criam série independente de humor

Caatinga:  famílias vivem da natureza no Parque Nacional da Furna Feia

CMEI na Zona Norte realiza exposição inspirada em Ariell Guerra

Currais Novos: Congresso das Batalhas reuniu artistas de Hip Hop

Maior produtor de atum do RN não leva pescado à mesa areia-branquense

Caicoense transformou a dor do luto em homenagem para 40 mulheres

Como resiste o afroempreendedorismo do outro lado da ponte

Medalhista mundial de Taekwondo conheceu esporte em associação de Assu

“No Seridó a Reza é Forte” destaca indígenas e africanos no RN

Zona Norte: projeto da UFRN leva comunicação para escola pública

Em Ouro Branco, a preservação do patrimônio coloriu a cidade

Fábrica de polpa de frutas transforma vida de mulheres agricultoras

As chuvas fortes em Natal e o caos na Zona Norte

Com 74 anos, Manoelzinho produz telas em latonagem e fotocorrosão

Patu: Cineatro leva reflexão social a estudantes de escolas públicas

Redinha: trabalhadores seguem desamparados após 3 meses de protestos

Jornal impresso “Quinzenal” resiste há 19 anos em Caicó

MPRN terá ação do projeto Pai Legal na Zona Norte

Saudade estimula artista a eternizar história de Upanema em quadros

Advogada levou o sertão poético de Caicó para Paris

Serra do Mel: rádio comunitária leva o bem à Vila Amazonas

DER responsabiliza prefeitura por acúmulo de areia na João Medeiros

Jurema Coletivo de Dança traz dança contemporânea para Caicó

“Fugi da prisão”: superação torna Chico Filho imortal em Martins

Trancistas: a valorização da cultura afro-brasileira na Zona Norte

Em São José, um guardião da história criou o Museu da cidade

Disputa política e judicial causa insegurança em Porto do Mangue

Natal sem Natal: Zona Norte reivindica eventos e decoração natalina

População faz mobilização pela volta de Cherie para Caicó

Tradição em Caraúbas: banda de música prepara festejos a São Sebastião

Cmei da Zona Norte prepara Natal Solidário das crianças

Ipueirense visita sítios e faz arte em madeira morta

Portalegre: Crianças quilombolas têm contato com ciência em pesquisa

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.