Projeto Trapiá Semente cria grupos de teatro pelo Seridó
Natal, RN 20 de abr 2024

Projeto Trapiá Semente cria grupos de teatro pelo Seridó

25 de dezembro de 2023
10min
Projeto Trapiá Semente cria grupos de teatro pelo Seridó
São João do Seridó | Foto: cedida

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Trapiá Semente é o nome do Projeto da Associação Cultural Trapiá, de Caicó, que desde 2022 tem realizado ações em municípios com menos de 50 mil habita da região Seridó, formando grupos de teatro com adolescentes. No total, 11 cidades já foram contempladas pelo projeto, envolvendo um total de cerca de 150 adolescentes.

Durante um período de seis meses, as cidades desenvolvem oficinas sobre bonecaria, interpretação de texto, expressão corporal, figurino, roteiro, direção de arte e outros assuntos específicos para a montagem e estreia do espetáculo. As oficinas são desenvolvidas por arte educadores dos seus respectivos municípios e por profissionais da Associação Cultural Trapiá e Mapa Realizações Culturais, de Natal, parceira do projeto Trapiá Semente.

O Projeto é dividido por etapas: Semear, Regar, Florescer e Cultivar. Na etapa Semear, a Trapiá Cia Teatral visita a cidade com o espetáculo Menino Pássaro, falando sobre a necessidade de liberdade, para manter a amizade entre o menino cadeirante e um pássaro. Na etapa Regar, acontece o desenvolvimento das oficinas, e, na etapa Florescer, a apresentação dos espetáculos montados. A etapa Cultivar vem sempre no segundo ano de participação do município, com novas oficinas. Neste ano de 2023, cinco novas cidades ingressaram no projeto: Ouro Branco, Ipueira, Santana do Seridó, São Fernando e São José do Seridó.

A experiência foi um divisor de águas na minha vida. O Trapiá Semente tem a perspectiva de ajudar aos adolescentes, a envolver-se com o teatro. Permanecem no Grupo de Teatro Brotos de Algodão, 21 adolescentes; e o plano é permanecer com o grupo e agregar novos adolescentes. Vamos criar a Associação dos Brotos de Algodão e seguir com novas oficinas que resultem em novos espetáculos”, avalia Fernanda Figueiredo, arte educadora do grupo de Ouro Branco.

Ouro Branco | Foto: cedida

A Cia Teatral Brotos de Algodão, de Ouro Branco, surpreendeu o público com a peça Oiticica, em homenagem ao poeta Orilo Dantas, com participação da Banda de Música Manoel Felipe Nery executando dobrado ao vivo.  O ator que representou Orilo Dantas foi o adolescente Anderson Marcos Medeiros da Silva.

Eu amei muito fazer o Orilo Dantas, uma pessoa importante para a história de Ouro Branco. Este foi meu primeiro contato com o teatro profissional. Espero que a gente consiga crescer e apresentar peças em Caicó, Natal, e outras capitais”, afirmou Anderson Medeiros.  

Currais Novos, Parelhas, Acari, Equador, Cruzeta e Carnaúba dos Dantas foram cidades contempladas ano passado, com oficinas e apresentação do espetáculo. Neste ano de 2023, estas cidades vivenciaram a etapa Cultivar, iniciando com apresentação do espetáculo “As Pelejas de Baltazar”, da Trapiá Cia Teatral, e levando as oficinas “O Som na Cena”, com Aglailson França, e “Improvisação e Criação de Movimento”, com Mônica Belotto e Carla Cintia Dutra.

O Trapiá Semente tem uma importância muito significativa nos municípios: trazer para as cidades a prática das artes, fazer um trabalho de inclusão, já que envolve todas as classes sociais e de gênero; tirar os jovens da zona de perigo, e promover ações que permitem acesso a cultura.  O projeto traz conhecimento aos participantes, arte educadores, gestores e a comunidade envolvida. O Trapiá Semente é sim uma grande escola de arte no nosso Estado”, ressalta Rienzz Elias, arte educador do Grupo de Teatro Flor de Liz, de Cruzeta, e neste ano, arte educador em São José do Seridó, que culminou com formação do Grupo de Teatro Algodão Mocó, apresentando o espetáculo Vocação e Fé do Povo de São José.

São José do Seridó tem planos de manter o grupo e desenvolver novos espetáculos. “O espetáculo Vocação e Fé do Povo de São José foi muito aplaudido em todas as apresentações, visto que além da culminância do projeto, ainda apresentamos na Mostra Literária do município e também no Sesc Seridó, na programação Aldeia Sesc. Esperamos que o Grupo de Teatro Algodão Mocó crie novas parcerias, no Seridó e no Estado”, disse Xaulim Dantas, coordenador de Cultura no município de São José do Seridó.

O município de São Fernando contou a história O Boi Encantado do Umarizeiro, com o Grupo de Teatro Sementes do Sertão, tendo participação de adolescentes da filarmônica de São Fernando executando músicas em flauta transversal. A peça, baseada em literatura de cordel, traz um boi que foi vendido pelo seu proprietário, dono da fazenda, mas era encantado. Uma poesia com cenário e personagens sertanejos, de memórias afetivas da vida do campo, também por ser uma história contada de geração a geração, em São Fernando. Na plateia, muitas famílias do Sítio Umarizeiro estiveram presentes.

São Fernando | Foto: cedida

O personagem principal, o “boi encantado” foi interpretado pelo adolescente Wilson. Ele relata que fazer teatro foi como “sair de uma bolha”.

Eu era muito tímido e o personagem do boi exige movimentos específicos. Foi muito bom fazer teatro pela primeira vez, porque eu saí da minha bolha, da minha zona de conforto. O teatro possibilitou diminuir essa timidez”, revela o adolescente.

A arte educadora Simone Cristina também cita esta contribuição do teatro, no sentido de favorecer a autoconfiança dos adolescentes de seu grupo. “O Trapiá Semente retirou nossos adolescentes da rotina monótona e, além disso, despertou neles a vontade de atuar, conhecer um pouco mais desse mundo maravilhoso que é o teatro, ajudou a eles se sentirem mais confiantes, no falar, no interagir, na socialização, reduzindo a inibição”, destaca Simone.

Também em Santana do Seridó, o roteiro da peça A Saga do Cruzeiro foi baseada em vivência da comunidade. O Grupo de Teatro Renascer tem como arte educadora Jade Vitória e entre os atores está Renan Morais, de 12 anos de idade, que desde os 8 faz teatro. Ele avalia que nesta experiência melhorou na expressão oral.

Santana do Seridó : Foto: cedida

Foi uma experiência incrível. Faço teatro desde os 8 anos e sempre fui apaixonado por teatro. Participar do Trapiá Semente foi de muitas emoções, desenvolvi meus dons no teatro e melhorei meu falar”, avalia Renan Morais.  

No município de Ipueira, o Projeto Trapiá Semente criou a Cia Teatral Raízes, tendo como arte educadora Catarina Araújo, a ‘Catarina Calungueira’. Com um grupo de 30 adolescentes, foi criada a peça Histórias de Visonha, abordando as lendas dos papangus, da rasga mortalha e do Jaraguá, personagens do imaginário popular.

Foi bastante positivo pra eles e pra mim. Foi uma experiência desafiadora, porque eu nunca tinha dirigido espetáculo e dirigi agora, com 30 pessoas em cena. Mas foi muito gostoso porque estavam sempre muito abertos e todos se divertiram e tiveram experiencias como ir ao Centro Cultural de Caicó, conhecer o teatro, e também ir ao SESC Seridó, apresentar a peça na concha acústica”, conta Catarina Calungueira, arte educadora de Ipueira.

Ipueira \ Foto: cedida

O Projeto Trapiá Semente é uma realização da Associação Cultural Trapiá através da Lei Câmara Cascudo, com patrocínio do Governo do RN, Fundação José Augusto e Neoenergia Cosern. A produção é da Mapa Realizações Culturais e conta com apoio das Prefeituras Municipais e Conselhos Municipais das Crianças e Adolescentes.

______________________________________________________________________________

Essa reportagem faz parte do projeto "Saiba Mais de perto", idealizado pela Agência SAIBA MAIS, e financiado com recursos do programa Acelerando Negócios Digitais, do ICFJ/Meta e apoio da Ajor.

Leia também:

Projeto Saiba Mais de Perto combate "desertos de notícias" no RN

Tibau: Estudantes participam da maior feira de ciências do mundo

Aldeia Sesc Seridó reúne artistas de Caicó em Cortejo Cultural

Comerciante morre em acidente por buraco na Zona Norte de Natal

Coletivos independentes movimentam a sétima arte em Mossoró

Seridó: Aos 93 anos, Maria Albino faz doces para acolher pessoas

Depois te Conto: jovens da Zona Norte criam série independente de humor

Caatinga:  famílias vivem da natureza no Parque Nacional da Furna Feia

CMEI na Zona Norte realiza exposição inspirada em Ariell Guerra

Currais Novos: Congresso das Batalhas reuniu artistas de Hip Hop

Maior produtor de atum do RN não leva pescado à mesa areia-branquense

Caicoense transformou a dor do luto em homenagem para 40 mulheres

Como resiste o afroempreendedorismo do outro lado da ponte

Medalhista mundial de Taekwondo conheceu esporte em associação de Assu

“No Seridó a Reza é Forte” destaca indígenas e africanos no RN

Zona Norte: projeto da UFRN leva comunicação para escola pública

Em Ouro Branco, a preservação do patrimônio coloriu a cidade

Fábrica de polpa de frutas transforma vida de mulheres agricultoras

As chuvas fortes em Natal e o caos na Zona Norte

Com 74 anos, Manoelzinho produz telas em latonagem e fotocorrosão

Patu: Cineatro leva reflexão social a estudantes de escolas públicas

Redinha: trabalhadores seguem desamparados após 3 meses de protestos

Jornal impresso “Quinzenal” resiste há 19 anos em Caicó

MPRN terá ação do projeto Pai Legal na Zona Norte

Saudade estimula artista a eternizar história de Upanema em quadros

Advogada levou o sertão poético de Caicó para Paris

Serra do Mel: rádio comunitária leva o bem à Vila Amazonas

DER responsabiliza prefeitura por acúmulo de areia na João Medeiros

Jurema Coletivo de Dança traz dança contemporânea para Caicó

“Fugi da prisão”: superação torna Chico Filho imortal em Martins

Trancistas: a valorização da cultura afro-brasileira na Zona Norte

Em São José, um guardião da história criou o Museu da cidade

Disputa política e judicial causa insegurança em Porto do Mangue

Natal sem Natal: Zona Norte reivindica eventos e decoração natalina

População faz mobilização pela volta de Cherie para Caicó

Tradição em Caraúbas: banda de música prepara festejos a São Sebastião

Cmei da Zona Norte prepara Natal Solidário das crianças

Ipueirense visita sítios e faz arte em madeira morta

Portalegre: Crianças quilombolas têm contato com ciência em pesquisa

Auto de Natal: espetáculo envolveu mais de 200 atores na Zona Norte

Dedicados à tecnologia, estudantes do IFRN são aprovados no INTELI

Em Areia Branca, minicidade vai levar crianças a exercitar a cidadania

Arte-Educador da Zona Norte levou arte com mosaicos para ExpoFavela

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.