Arte-Educador da Zona Norte levou arte com mosaicos para ExpoFavela 
Natal, RN 21 de abr 2024

Arte-Educador da Zona Norte levou arte com mosaicos para ExpoFavela 

24 de dezembro de 2023
7min
Arte-Educador da Zona Norte levou arte com mosaicos para ExpoFavela 
O artista foi responsável por reformar as Escadarias de Mãe Luiza, Zona Leste de Natal - Foto: cedida

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A Expo Favela Innovation é a maior feira de negócios de favela do mundo e em 2023, na edição nacional em São Paulo, contou com a participação de 10 projetos do Rio Grande do Norte. Dentre eles, está Wendell Batista, mosaicista, artista e arte-educador que utiliza o trabalho com mosaicos para oferecer cursos e oficinas profissionalizantes destinados a moradores de periferias. Wendell mora no bairro Nossa Senhora da Apresentação, na Zona Norte de Natal, e levou sua comunidade para a exposição nacional.

Em 2023, o artista e seu negócio ficaram entre os 10 melhores projetos como empreendimento de potência do Rio Grande do Norte e entre os 30 melhores projetos a nível nacional da ExpoFavela. Junto dele, outras iniciativas potiguares também levaram o estado para São Paulo, como o AfroTupi, Grão de Mostarda, Pedal Mix, ReforAmar, Shopping da Ralé, Orby Co, Fábrica de Inventos, Martim Onirismo e Valentes. Para chegar em São Paulo, os projetos venceram a etapa estadual da exposição que ocorreu em outubro deste ano, em Natal. 

Wendell Batista é formado em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e, desde 2013, desenvolve pesquisas históricas, técnicas e práticas voltadas para propostas artísticas e educacionais relacionadas com a arte de mosaicos. O mosaico é uma arte milenar, que resiste e persiste até hoje, em que consiste em reunir diversas peças, de diversas cores e materiais para formar uma grande figura. A Wendell Batista Mosaicista (WBM) possibilita reciclar, reaproveitar e reutilizar materiais descartáveis para oferecer cursos e oficinas de mosaico para comunidades carentes.

Essas propostas, que estão de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), ajudam nos processos ecológicos e produzem atrações artísticas para o paisagismo urbano da cidade de Natal-RN. Para conhecer seu trabalho, basta o seguir nas redes sociais: @wendellbatistamosaicista.

Nossa empresa gostaria de expandir essas ações para mais comunidades, na minha cidade e pelo Brasil inteiro, porque além da sustentabilidade, os cursos e oficinas têm também o objetivo de produzir uma arte coletiva para ser fixada em algum espaço público na comunidade.  O que gera empoderamento, pertencimento e, principalmente, profissionalizando pessoas para trabalhar com essa técnica milenar”, destaca Batista.

Fixando uma “Mandala Fractal” em uma parede em Macaíba/RN - foto: cedida

Para o artista, levar a Zona Norte de Natal para longe, região abandonada pelo poder público, significa um reconhecimento e uma valorização da sua arte e de seu trabalho. Mesmo com as conquistas, Batista ainda reconhece as dificuldades e os estigmas que a área enfrenta diariamente. 

Ver que nós, aqui da ZN, temos pouco apoio dos órgãos públicos me motiva e me dá forças para buscar a realização de mais projetos. Olhar mais para minha comunidade, potencializar, ainda mais, as pessoas desse lado da ponte. Gostaria que fosse mais fácil conseguir recursos para realizações de cursos profissionalizantes para o revestimento artístico na arquitetura”, pontuou o mosaicista. 

Representar o Rio Grande do Norte fez o artista perceber o caminho certo de sua carreira. “Muitas vezes a falta de apoios e incentivos nos faz querer desistir”, desabafou Wendell que já desenvolveu projetos e realizou cursos e oficinas nos bairros das Rocas, Areia Preta, Mãe Luiza, Lagoa Azul, Passo da Pátria e até no município de Areia Branca, na Costa Branca do RN. “A persistência no negócio, acreditar que vai dar certo e o amor pela arte e a aprovação do espectador é o que me faz ter forças pra continuar”, avalia o artista, que com muito esforço está conquistando seu espaço. 

O arte-educador sempre foi o único responsável por sua carreira. Ele faz as obras de artes, cuida do financeiro, do marketing e ministra os cursos de capacitação que promove. Quando retornou de São Paulo, Wendell percebeu a necessidade de focar sua concentração em Natal e trazer para a capital potiguar, especialmente as periferias, a potencialização dessas pessoas. Por não ser uma tarefa fácil de fazer sozinho, o artista procura por apoiadores e patrocinadores do seu trabalho, para manter de pé seu sonho de fazer arte.

Ficar entre os top 10 do Estado, me motiva muito. Para o próximo ano, quero expandir meu negócio para novos artistas que venho potencializando, como a artista Simone Silva que está desenvolvendo obras de arte com grande potencial técnico. Busco para 2024 patrocinadores e apoiadores para conseguirmos alcançar mais bairros, loteamentos, nas periferias aqui da Zona Norte”, finaliza.

______________________________________________________________________________

Essa reportagem faz parte do projeto "Saiba Mais de perto", idealizado pela Agência SAIBA MAIS, e financiado com recursos do programa Acelerando Negócios Digitais, do ICFJ/Meta e apoio da Ajor.

Leia também:

Projeto Saiba Mais de Perto combate "desertos de notícias" no RN

Tibau: Estudantes participam da maior feira de ciências do mundo

Aldeia Sesc Seridó reúne artistas de Caicó em Cortejo Cultural

Comerciante morre em acidente por buraco na Zona Norte de Natal

Coletivos independentes movimentam a sétima arte em Mossoró

Seridó: Aos 93 anos, Maria Albino faz doces para acolher pessoas

Depois te Conto: jovens da Zona Norte criam série independente de humor

Caatinga:  famílias vivem da natureza no Parque Nacional da Furna Feia

CMEI na Zona Norte realiza exposição inspirada em Ariell Guerra

Currais Novos: Congresso das Batalhas reuniu artistas de Hip Hop

Maior produtor de atum do RN não leva pescado à mesa areia-branquense

Caicoense transformou a dor do luto em homenagem para 40 mulheres

Como resiste o afroempreendedorismo do outro lado da ponte

Medalhista mundial de Taekwondo conheceu esporte em associação de Assu

“No Seridó a Reza é Forte” destaca indígenas e africanos no RN

Zona Norte: projeto da UFRN leva comunicação para escola pública

Em Ouro Branco, a preservação do patrimônio coloriu a cidade

Fábrica de polpa de frutas transforma vida de mulheres agricultoras

As chuvas fortes em Natal e o caos na Zona Norte

Com 74 anos, Manoelzinho produz telas em latonagem e fotocorrosão

Patu: Cineatro leva reflexão social a estudantes de escolas públicas

Redinha: trabalhadores seguem desamparados após 3 meses de protestos

Jornal impresso “Quinzenal” resiste há 19 anos em Caicó

MPRN terá ação do projeto Pai Legal na Zona Norte

Saudade estimula artista a eternizar história de Upanema em quadros

Advogada levou o sertão poético de Caicó para Paris

Serra do Mel: rádio comunitária leva o bem à Vila Amazonas

DER responsabiliza prefeitura por acúmulo de areia na João Medeiros

Jurema Coletivo de Dança traz dança contemporânea para Caicó

“Fugi da prisão”: superação torna Chico Filho imortal em Martins

Trancistas: a valorização da cultura afro-brasileira na Zona Norte

Em São José, um guardião da história criou o Museu da cidade

Disputa política e judicial causa insegurança em Porto do Mangue

Natal sem Natal: Zona Norte reivindica eventos e decoração natalina

População faz mobilização pela volta de Cherie para Caicó

Tradição em Caraúbas: banda de música prepara festejos a São Sebastião

Cmei da Zona Norte prepara Natal Solidário das crianças

Ipueirense visita sítios e faz arte em madeira morta

Portalegre: Crianças quilombolas têm contato com ciência em pesquisa

Auto de Natal: espetáculo envolveu mais de 200 atores na Zona Norte

Dedicados à tecnologia, estudantes do IFRN são aprovados no INTELI

Em Areia Branca, minicidade vai levar crianças a exercitar a cidadania

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.