Zona Norte: pontes interditadas geram insegurança à virada do ano
Natal, RN 20 de abr 2024

Zona Norte: pontes interditadas geram insegurança à virada do ano

31 de dezembro de 2023
7min
Zona Norte: pontes interditadas geram insegurança à virada do ano
Queima de fogos na ponte nova - Foto: STTU

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A Ponte Newton Navarro foi interditada parcialmente desde sábado (30) e totalmente neste domingo (31) para a tradicional queima de fogos de Natal. A ação, no entanto, tem gerado preocupação aos moradores e trabalhadores da Zona Norte que vão precisar atravessar a cidade, a lazer ou a trabalho, e temem perder compromissos na virada do ano com possível lentidão do trânsito.

A ponte nova opera em mão dupla no sentido Centro/Redinha da meia noite do sábado até às 22h do dia 31, quando toda a estrutura ficará fechada nos dois sentidos, até as 2h da segunda-feira (1º). As informações são da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) que afirmou que agentes e inspetores de mobilidade e motociclistas estarão cobrindo todas as intervenções durante o período.

Desse modo, uma das únicas vias para atravessar a cidade será a Ponte do Igapó, que passa por reformas de reestruturação desde 2022, e atualmente está com uma das vias interditadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) com previsão de conclusão apenas em 2025.

Os moradores que desejam ver a queima de fogos em Ponta Negra e não conseguirem sair de casa ou do serviço mais cedo, temem passar a virada de ano presas no trânsito. “Tem festa na Redinha, mas a gente também tem direito de ir pra qualquer comemoração em qualquer lugar da cidade”, comenta Iasmim Estavam que pretende passar a virada do ano em Ponta Negra. 

Estou preocupada se vou chegar a tempo de ver a queima de fogos em Ponta Negra, pois, moro na Zona Norte e o engarrafamento na ponte velha, que já é grande e lento todos os dias, com certeza será intensificado devido o fechamento da ponte nova no fim da noite de ano novo”, desabafou. 

Motoristas de aplicativos ouvidos pela reportagem também se preocupam com as corridas que podem perder pelo engarrafamento na ponte velha ou que outro trajeto precisarão fazer para atravessar a cidade.

Eu não queria passar a virada do ano trabalhando. Trabalho porque preciso, e por mais que seja normal um fluxo de trânsito maior nesse período de fim ano, a situação atual da ponte velha é preocupante. Tomara que esteja tranquilo ou vou perder muitas corridas”, comentou um deles. 

Pontes de Natal não estão preparadas para enfrentar imprevistos 

A preocupação dos moradores não é à toa. O medo de acontecer imprevistos no trânsito ou não ter noção da hora que precisa sair de casa ou até mesmo quanto tempo vão enfrentar no trânsito.

Na tarde da última quinta-feira (28), um ônibus e um caminhão quebraram, um em cada sentido da ponte velha, o que gerou um grande transtorno para quem trafegava na região. Muitos moradores e passageiros exaustos de esperar, precisaram descer dos ônibus e continuar a travessia a pé.

No mesmo dia, Fernanda Pinheiro, aluna de História da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), alertou à Agência Saiba Mais que as pontes de Natal não estão preparadas para lidar com imprevistos. O que prejudica, ainda mais, a vida daqueles que passam horas presos no trânsito diariamente. Na ocasião, a estudante contou da vez que ficou 1h e 50m presa no trânsito por causa de um acidente de carro que a fez chegar atrasada em um evento da faculdade.

______________________________________________________________________________

Essa reportagem faz parte do projeto "Saiba Mais de perto", idealizado pela Agência SAIBA MAIS, e financiado com recursos do programa Acelerando Negócios Digitais, do ICFJ/Meta e apoio da Ajor.

Leia também:

Projeto Saiba Mais de Perto combate "desertos de notícias" no RN

Tibau: Estudantes participam da maior feira de ciências do mundo

Aldeia Sesc Seridó reúne artistas de Caicó em Cortejo Cultural

Comerciante morre em acidente por buraco na Zona Norte de Natal

Coletivos independentes movimentam a sétima arte em Mossoró

Seridó: Aos 93 anos, Maria Albino faz doces para acolher pessoas

Depois te Conto: jovens da Zona Norte criam série independente de humor

Caatinga:  famílias vivem da natureza no Parque Nacional da Furna Feia

CMEI na Zona Norte realiza exposição inspirada em Ariell Guerra

Currais Novos: Congresso das Batalhas reuniu artistas de Hip Hop

Maior produtor de atum do RN não leva pescado à mesa areia-branquense

Caicoense transformou a dor do luto em homenagem para 40 mulheres

Como resiste o afroempreendedorismo do outro lado da ponte

Medalhista mundial de Taekwondo conheceu esporte em associação de Assu

“No Seridó a Reza é Forte” destaca indígenas e africanos no RN

Zona Norte: projeto da UFRN leva comunicação para escola pública

Em Ouro Branco, a preservação do patrimônio coloriu a cidade

Fábrica de polpa de frutas transforma vida de mulheres agricultoras

As chuvas fortes em Natal e o caos na Zona Norte

Com 74 anos, Manoelzinho produz telas em latonagem e fotocorrosão

Patu: Cineatro leva reflexão social a estudantes de escolas públicas

Redinha: trabalhadores seguem desamparados após 3 meses de protestos

Jornal impresso “Quinzenal” resiste há 19 anos em Caicó

MPRN terá ação do projeto Pai Legal na Zona Norte

Saudade estimula artista a eternizar história de Upanema em quadros

Advogada levou o sertão poético de Caicó para Paris

Serra do Mel: rádio comunitária leva o bem à Vila Amazonas

DER responsabiliza prefeitura por acúmulo de areia na João Medeiros

Jurema Coletivo de Dança traz dança contemporânea para Caicó

“Fugi da prisão”: superação torna Chico Filho imortal em Martins

Trancistas: a valorização da cultura afro-brasileira na Zona Norte

Em São José, um guardião da história criou o Museu da cidade

Disputa política e judicial causa insegurança em Porto do Mangue

Natal sem Natal: Zona Norte reivindica eventos e decoração natalina

População faz mobilização pela volta de Cherie para Caicó

Tradição em Caraúbas: banda de música prepara festejos a São Sebastião

Cmei da Zona Norte prepara Natal Solidário das crianças

Ipueirense visita sítios e faz arte em madeira morta

Portalegre: Crianças quilombolas têm contato com ciência em pesquisa

Auto de Natal: espetáculo envolveu mais de 200 atores na Zona Norte

Dedicados à tecnologia, estudantes do IFRN são aprovados no INTELI

Em Areia Branca, minicidade vai levar crianças a exercitar a cidadania

Arte-Educador da Zona Norte levou arte com mosaicos para ExpoFavela

Projeto Trapiá Semente cria grupos de teatro pelo Seridó

Apodi: 1º museu indígena do RN preserva memória dos Tapuia Paiacus

Zona Norte: reforma da Ponte do Igapó piora trânsito e incomoda região

Seridó é guardião do Doce Seco, uma sobremesa quase extinta

Costa Branca: fogos na virada do ano serão sem ruídos

Lei Paulo Gustavo fomenta criação de documentários sobre o Seridó

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.